Estar preparado financeiramente para morar sozinho parece ser um processo muito complexo. Porém, conseguir essa independência financeira é muito gratificante e um marco muito importante na vida de todo jovem (ou mesmo se você não é tão jovem assim).

Se você já possui sua própria renda, esse desejo já deve ter surgido e há uma vontade enorme de colocar em prática. Mas sem o planejamento correto, esse sonho pode se tornar um pesadelo e acabar tão rápido quanto começou. 

Antes de empacotar suas coisas e abraçar sua independência, se planeje para que sua liberdade não seja tirada de você de forma prematura.

Para que você possa viver o sonho da vida adulta de forma organizada e sem muitas dores de cabeça, separamos alguma dicas de como se planejar financeiramente para morar só!

 

O primeiro passo para morar sozinho

Tenha em mente, de acordo com o que você ganha, o que você pode pagar. Todos os custos devem ser levados em conta. Organize uma planilha com todos os gastos que você terá mensalmente e não esqueça de reservar uma quantia para emergências. 

Se você não tem ideia de quanto custa viver só, procure conversar com pessoas que já estão nessa situação para ter uma estimativa de quanto elas gastam com luz, água, feira, despesas extras, etc.

Lembre-se: algumas coisas você só terá uma estimativa, porque são contas que poderão sofrer alterações de um mês para o outro, como conta de energia, por exemplo. 

 

Se capitalize

Não adianta fazer as coisas com pressa porque a probabilidade de dar errado é grande. Se ter uma estimativa de quanto você vai gastar mensalmente é o primeiro passo, o segundo é se capitalizar para não ter surpresas desagradáveis, principalmente no início.

É normal que você tenha gastos extras nos primeiros meses vivendo só. Se você optar por um apartamento ou casa mobiliada, ainda assim terá gastos comprando algumas coisas para sua nova casa. Mas se não for mobiliado, compre os móveis aos poucos e lembre-se que esses gastos devem entrar no seu planejamento. Você pode também ir comprando algumas coisinhas antes mesmo de se mudar. 

Então, uma dica é que você, antes de qualquer coisa, junte um dinheiro para despesas extras. Essa reserva deverá ser em média de três a seis meses de renda líquida para você iniciar sua vida! 

 

Esteja preparado para emergências

Poupar 10% do seu salário todo mês é o que os especialistas recomendam, além daquela capitalização inicial.

Você deve estar preparado para tudo, desde problemas de saúde até mesmo a hipótese de perder o emprego. Para isso, você irá precisar dessa reserva para pagar suas contas.

Quanto maior for a sua reserva de emergência, mais tranquilidade você terá.

 

Adeque a sua realidade para morar sozinho

Lembre-se que a partir de agora você terá despesas que antes não tinha, então seu estilo de vida provavelmente irá mudar. 

Isso não quer dizer que você não possa mais se divertir e utilizar uma parte do seu dinheiro para lazer, calma! Mas você precisa de adequar a sua nova realidade e talvez não tenha mais tantos luxos quanto antes. Opte por fazer programações gratuitas ou que você gaste muito pouco.

Procure apartamentos que se encaixam no seu orçamento. Se você deseja morar em um bairro que os preços são mais elevados, procure imóveis menores. 

 

Evite usar o cartão de crédito

Quanto menos você usar seu cartão de crédito melhor. Tente ao máximo encaixar suas despesas dentro do seu orçamento e deixe o crédito para emergências. 

Não utilize essa opção para pagar seus gastos mensais, porque no próximo mês você terá novamente aquela despesa e vai acabar virando uma bola de neve.

Morar sozinho certamente trará muitas despesas, principalmente no início, mas se você se planejar bem e seguir esse planejamento, não terá problemas.

 

É preciso muita responsabilidade e organização para fazer dar certo. Faça tudo que você puder fazer para economizar com as despesas como: fazendo sua própria faxina, tirando eletrodomésticos da tomada quando não estão sendo utilizados, evitando comer fora, etc.  

E lembre-se: faça as coisas com calma e espere o momento certo para tomar essa decisão.