Todo mundo em algum momento já fez ou pensou em fazer um planejamento das suas finanças. Organizar a vida financeira é um grande desafio para muita gente. Você é uma delas? Acha complicado seguir e gerenciar um orçamento e poupar dinheiro? Eis a regra de 50-30-20 que vai te ajudar com suas finanças!

O que é a regra de 50-30-20?

A senadora de Massachusetts e especialista em finanças da Universidade de Harvard, Elizabeth Warren, criou a regra de 50-30-20 no intuito de organizar os gastos e economizar com sua filha, Amelia Warren Tyagi.

Ao criar o método, ela pensou em uma forma de buscar o equilíbrio para o seu dinheiro e, de uma forma simples, gerir o orçamento. Dessa forma, Elizabeth criou uma nova ótica sobre o dinheiro para realização dos objetivos financeiros.

A regra é composta por três grandes categorias: 1) 50% para as necessidades e gastos essenciais; 2) 30% para os desejos pessoais; 3) 20% para poupar e objetivos financeiros.

 

banner para baixar a planilha de gastos pessoais

 

50% para necessidades especiais

Aqui entra todos os seus gastos básicos de sobrevivência. Isso inclui tanto os gastos fixos como os variáveis, mas que são primordiais para qualquer pessoa. Como por exemplo: moradia, alimentação, transporte, seguros, plano de celular, eletricidade, gás e água.

 

30% para os gastos pessoais

Inclui todas as despesas extras que não são essenciais, mas que também fazem parte do dia a dia das pessoas. Tais como: compras, refeições fora, presentes, salão de beleza, maquiagem e lazer em geral.

 

20% para os objetivos financeiros

Essa parcela está destinada diretamente no intuito de poupar. Ela pode se usada no seu fundo de emergência, em investimentos ou para um objetivo específico (quitar uma dívida, férias, compra de carro, imóveis, etc.).

 

Veja também:

Salário líquido e bruto: Entenda as diferenças

Reserva de emergência: Entenda como estar pronto para imprevistos

 

Como implementar a regra de 50-30-20?

Sendo um método bastante flexível, você irá utilizá-lo de acordo com suas necessidades.

  • Primeiro, anote sua renda líquida – depois de todos os descontos. Análise também qualquer dinheiro extra que entra na sua conta e qual o montante que resta.
  • Faça uma lista do que é realmente essencial, e depois poderá analisar uma maneira de enxergar os seus gastos. Preste atenção em tudo que pode ser economizado, por exemplo, a sua energia. Troque as lâmpadas por fluorescente ou de led, estude o que pode ficar desligado enquanto não estiver em casa, etc.
  • Estude também o que vai comer durante a semana para poder ir ao supermercado e só comprar o que realmente precisa. Levar comida de casa para o trabalho já é uma ótima maneira de economizar também. Quantas vezes você come fora na semana? Diminua esse número.
  • Em vez de ir no salão toda semana, que tal ir de 15 em 15 dias?

O método vai variar de acordo com a realidade de cada um. O que é essencial para alguns pode ser visto como um gasto extra para outros. Então, o importante é saber diferenciar e ter senso crítico para ver o que é realmente fundamental para você!